21 de abril de 2021
Campo Grande 32º 18º

Calor em Campo Grande provoca desmaios na construção civil

A- A+

Em pleno inverno Campo Grande veio apresentando nas últimas semanas temperaturas altíssima em torno de 38ºC e sensação térmica próximo de 50ºC. O forte calor  já provocou mal-estar e até desmaios em canteiros de obras da cidade.

As altas temperaturas têm deixando a diretoria do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil e do Mobiliário de Campo Grande - Sintracom, literalmente “suada” de preocupação com boa parte dos seus mais de 30 mil profissionais, homens e mulheres, que trabalham no setor.

O sindicato já soube de vários casos de operários que desmaiaram por conta do excesso de exposição ao sol durante o labor. Por conta disso, a entidade tem feito constantes visitas aos canteiros de obras para fiscalizar o cumprimento da lei que obriga as empresas a fornecerem protetores solares a todos os operários e outros equipamentos como a touca árabe, que evita o sol no ombro e pescoço e uniformes com mangas compridas, informa José Abelha Neto, presidente do Sintracom.

Além dos protetores, o sindicato verifica também a colocação de água potável em abundância para os operários, nos canteiros de obras. “Se as empresas puderem fornecer água gelada, melhor ainda para amenizar o forte calor. E devem facilitar para que essa água chegue com constância ao alcance dos profissionais. E mais, devem colocar copos descartáveis ou fornecer copos individuais aos funcionários”, explica o sindicalista.

A diretoria do Sintracom recomenda também que os operários procurem fazer boas alimentações diárias para não sofrerem desgastes, que são agravados com o forte calor. “Se a pessoa não se alimentar direito, corre o risco de desmaios e até outras complicações devido ao trabalho pesado e o calor de quase 50 graus”, afirma Abelha.

O sindicalista informa que as mulheres também sofrem muito com o forte calor sobre o corpo durante o trabalho nos canteiros de obras. O número delas, nos canteiros, tem aumentado, por conta de suas habilidades profissionais, especialmente nas áreas de acabamento. “Todos precisam tomar muito cuidado com esse forte calor e procurar manter-se devidamente hidratado, principalmente nos períodos de maior pico de temperatura”, aconselha Abelha Neto.

Reflorestamento

 Preocupado com a onda de calor que tem provocado sensação térmica acima de 50 graus em Mato Grosso do Sul, conforme tem acompanhado pela imprensa, a diretoria do Sintracom aconselha a sociedade a fazer algo para reverter esse problema que parece se agravar a cada ano. “Acreditamos que o reflorestamento de áreas no campo e na cidade podem contribuir, e muito, contra a elevação da temperatura”.

O sindicato sugere campanhas de plantio de árvores e recuperação de áreas nativas para ajudar. “Não podemos esperar a solução vinda de um governo ou de quem quer que seja. Precisamos tomar medidas imediatas e uma delas é devolver a vegetação da natureza. Isso contribui, e muito para a solução do problema. É dever de cada um de nós fazer a nossa parte”, afirma o sindicalista Abelha Neto.