13 de junho de 2021
Campo Grande 25º 11º

“Estamos no caminho positivo”, diz Olarte sobre administração municipal

A- A+

O prefeito Gilmar Olarte abriu a reunião realizada na sede do Planurb, na manhã de ontem com os presidentes de Conselhos Regionais, afirmando que “o pior já passou e que agora as coisas começam a tomar um caminho positivo. Não serão fáceis, mas são muito melhores do que em 2014”, ressaltou o prefeito. Olarte lembrou que o passado não pode ser esquecido”, até porque, chamou a atenção, “nunca houve impeachment na história de Campo Grande, foi a primeira vez”.


A gestão iniciada em 2014 recebeu um déficit de mais de 280 milhões, fornecedores atrasados, falta de remédios, falta de alimentos para as crianças, enfim, um caos em todas as áreas, inclusive com as obras paradas. Com a paralisação total das obras, muitas empresas que tinham ganhado licitações acabaram pedindo recuperação judicial, outras abandonaram as obras e muitas ingressaram na Justiça reivindicando reajustes de preços. “Cada empreendimento de tornou um problema complexo, que vai bem além da questão mera e simples dos recursos, que também estão escassos”, advertiu o prefeito Olarte.

Depois de reduzir a folha de pagamento em R$ 13 milhões e buscar novas economias, o prefeito assinala que a Prefeitura iniciou 2015 com uma outra perspectiva. “Estamos avançando no destravamento de obras, liberando recursos para algumas desapropriações e correndo atrás das contrapartidas para algumas obras federais que estão paradas por falta de recursos que ainda não vieram de Brasília”, esclareceu. 

Gilmar Olarte disse que não considera as obras paradas como “herança maldita”, mas sim como “herança “bendita”, porque à medida que forem concluídas trarão benefícios para a população campo-grandense. “Nossa política é de Estado e não política de governo, ou seja, buscamos o bem da cidade como um todo e não apenas conquistas da nossa própria gestão”, explicou.

Um exemplo dessa mudança positiva que já começa a acontecer na cidade é a autorização da Caixa para a licitação das obras do Complexo Anhanduí, um projeto que data de 2007, e que a a atual equipe técnica as Seintrha conseguiu tirar do papel. “Assim como esse projeto, outras começam a acontecer, como o PAC Mobilidade e o projeto de recapeamento da CAF”, disse Olarte aos conselheiros.

O prefeito considerou a liberação da obra do Anhanduí como emblemática porque aponta que os esforços da administração estão indo na direção certa. Olarte disse aos conselheiros que a administração tem alegria em fazer, de atender a população. “Não temos nenhum sentimento de não fazer e, por isso, precisamos de ajuda de todos, em especial dos conselheiros que têm a responsabilidade de fazer a ponte entre nós e a população”, disse o prefeito, convocando os líderes das regiões urbanas a somarem forças junto com a administração.

“É importante que os senhores conheçam de perto os nosso esforços, avaliem a direção e as estratégias adotadas, entendam porque agimos assim e possam informar a população, além de contribuir com sugestões. Está aberto o diálogo permanente com os conselheiros”, declarou o prefeito da Capital.