23 de junho de 2021
Campo Grande 30º 17º

Obras serão retomadas e Hospital do Trauma deve ficar pronto em 2016

A- A+

Depois de mais de dois anos com as obras paralisadas, o Hospital do Trauma de Campo Grande deve finalmente sair do papel. Segundo o presidente da ABCG (Associação beneficente de Campo Grande), Wilson Teslenco, essa semana o Ministério da Saúde concluiu as auditorias sobre o Hospital do Trauma  e está analisando a proposta de repactuação de convênio apresentada pela ABCG para dar continuidade às obras do hospital.

Teslenco deve se reunir com técnicos do Ministério da Saúde na semana que vem. “Como a semana que vem é muito curta, não sei que dia realmente essa reunião vai acontecer, mas o Ministério me adiantou que pretende já na semana que vem nos dar uma resposta sobrea repactuação”.

De acordo com Teslenco, esse projeto de repactuação determina mudanças necessárias na obra para readequação ao projeto original. Segundo o presidente da ABCG, durante a execução da obra até o momento em que ela foi paralisada, existiram muitos problemas de medição, de execução, problemas com materiais que fizeram om que o que hoje existe fisicamente, não fosse compatível com o projeto, nem com as especificações exigidas pelo Ministério da Saúde.

“Hoje nosso maior problema não é nem o financeiro, o grande problema do Hospital do Trauma é o aspecto operacional, fizemos várias medições e a diferença entre o que estava no projeto e o que foi executado é muito grande. Por isso, assim que repactuar com o Ministério da Saúde, iremos abrir uma nova licitação para contratação de outra empreiteira que possa executar a obra”.

Se tudo correr dentro do prazo previsto, Teslenco acredita que até o final de fevereiro, essa licitação seja aberta e dentro de no máximo, 90 dias, as obras sejam retomadas. O Hospital do Trauma irá contar com 138 leitos e deve ficar pronto em um ano, ou seja, segundo semestre de 2016. A importância do hospital para Teslenco é que ele irá desafogar a rede pública de saúde de Campo Grande, em especial da própria Santa Casa, pois os pacientes que necessitam de atendimento de alta complexidade, principalmente em casos de acidentes de trânsito, serão atendidos diretamente no novo hospital.

Dany Nascimento e Heloisa Lazarini