30 de setembro de 2020
Campo Grande 40º 23º

Operação de segurança criada para Copa apreende 35 toneladas de maconha no Estado

Durante a cerimônia de abertura dos 70 anos de participação dos soldados expedicionários da FEB (Força Expedicionária Brasileira), na 2º Guerra Mundial, realizada hoje às 9h no Hotel de Trânsito Militar, o Comandante Militar do Oeste General Juarez, relatou a importância da segurança nas fronteiras durante este período de Copa ao MS Noticias. Antes de começar a Copa, criou-se uma operação chamada Ágata (Operação Conjunta das Forças Armadas Brasileiras, em coordenação com outros órgãos federais e estaduais na faixa de fronteira da Amazônia para combater delitos transfronteiriços e ambientais), para cuidar de todos os 17 mil quilômetros de fronteira brasileira. A operação foi uma parceria entre o Ministério da Defesa e Ministério da Justiça. Neste processo não participaram só as forças armadas, mas também órgãos de segurança pública, como Policia Federal, Polícia Rodoviária Federal, ABIN (Sistema Brasileiro de Inteligência) entre outras. “Durante a Copa, mesmo Campo Grande não sendo cidade sede dos jogos, existe um fundamental cuidado com a nossa região, devido ao fluxo de entrada de estrangeiros por meio de Mato Grosso do Sul. O maior fluxo de drogas que entra no Brasil ainda é pelo MS. Durante a operação Ágata foram aprendidas mais de 35 toneladas de maconha, que entravam em território brasileiro” afirmou o General Juarez. Junior Cordeiros.