24 de setembro de 2021
Campo Grande 36º 21º

CULTURA | VILA NASSER

Pela 1ª vez na história, Prefeitura inaugura grafite com placa; 'homenagem a arte', diz artista

Arte de Marilena Grolli voltou aos muros do Centro Olímpico Vila Nasser nesta 2ª-feira (15.mar), 1 ano e 6 meses após ser erroneamente apagada

A- A+

O muro do Centro Olímpico Vila Nasser recebeu hoje (15. março), o novo grafite da artista Marilena Grolli. Sendo a 1ª vez na história que a prefeitura campo-grandense inaugura um grafite por meio de uma placa; Marilena externou a felicidade. “Foi tudo muito lindo... foi um ato histórico, é a primeira vez que um grafite é inaugurado com uma placa! Na verdade, é uma placa homenageando a arte”, classificou. 

A artista havia grafitado no local em 2016, mas em 2019 a arte foi coberta durante uma reforma, o que se tornou alvo de polêmica, já que a artista nem estava no Brasil, pois representava o país em um festival de grafite internacional. 

Grolli revelou à reportagem, que o que a Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur) fez, corrigiu um erro da Fundação Municipal do Esporte (Funesp) de ter coberto o grafite há 1 ano e 6 meses atrás. “O Max, um cara que admiro, decidiu corrigir o erro por meio da Sectur, que nem tinha responsabilidade”, comentou Grolli em conversa na tarde da sexta-feira (12/03/21), com a reportagem.    

Conforme a artista tinha adiantado ao MS Notícias, o novo grafite contempla a fauna e flora campo-grandense, com jacarés, araras, cajueiros e mangueiras. "A reação da população enquanto eu pintava foi incrível, passavam por aqui, agradeciam. Esse é o poder da arte, trazer beleza e valorização do espaço público", disse.

Novo muro entregue à comunidade do Vila Nasser em Campo Grande Novo muro entregue à comunidade do Vila Nasser, em Campo Grande. Foto: Divulgação 

A inauguração contou com a presença do secretário de Cultura e Turismo, Max Freitas e do diretor-presidente da Funesp, Rodrigo Terra.

Para Max, a situação de terem coberto a arte de Marilena, se deveu a uma ‘falta de conhecimento’ de quem o fez e a nova arte está com a placa justamente para que a comunidade e todos que por lá passarem saibam que o grafite naqueles muros se trata de um patrimônio. “Quem fez isso na época, apagar, fez por desconhecimento. E esse um dos motivos da placa, para terem noção que aquilo ali realmente é um patrimônio, patrimônio da comunidade, e... e que aquilo ali é uma arte, que o grafite é uma referência da cultura, da arte de rua, para eles também tomarem posse, esse é objetivo”, explicou o secretário. 

Placa colocada para lembrar àqueles que não saibam que se trata de um patrimônio Placa colocada para lembrar àqueles que não saibam que se trata de um patrimônio. Foto: Divulgação 

O secretário explicou que a Funesp procurou a Sectur para que a arte fosse devolvida ao local, mas a ideia não era resolver o problema ou apaziguar [qualquer situação]. “Eu fiquei sabendo que fazia mais de um ano que não tinham devolvido a arte ao local, eu não ‘estarei’, vamos dizer assim: querer resolver o problema, de apaziguar ou de solucionar, até porque nosso pedido a Marilena que ela não fizesse uma releitura, para que ocorresse uma nova entrega ao local... não é uma prestação de contas, não é um acordo, nada, é entregando à comunidade realmente uma nova obra ao Vila Nasser”, esclareceu. 

Max afirmou ainda que a prefeitura pretende estender as mesmas ações pelos pontos de ônibus e outros parques da Capital. “Nós pretendemos fazer, um dos objetivos da prefeitura é lançar um projeto, com o mesmo trabalho nos pontos de ônibus de Campo Grande”, adiantou. E disse que cada ponto que receber essas artes serão também inaugurados com uma placa de patrimônio.

Marilena passou dia e noite, para entregar obra finalizada em 39hMarilena grafitou dia e noite para entregar obra finalizada em 39h. Foto: Reprodução 

O novo grafite foi feito por Marilena no período enxuto de 39 horas, tendo a artista iniciado na sexta-feira (12.mar). Virando a noite sobre a escada, a artista disse que um sentimento se sobrepôs ao cansaço provocado pelas quase 13 horas por dia com o spray de tinta na mão, sem parar. “Realização! Tirou um peso que eu carregava querendo entregar a arte novamente à minha comunidade. Justamente por saber da indignação quando foi apagada. Mas agora alívio e felicidade”, traduziu. 

Obra sendo finalizada por Marilena Grolli Obra sendo finalizada por Marilena Grolli. Foto: Reprodução

“O processo é cansativo, mesmo com o coro quase saindo da pele [eu] continuava, porque eu sabia do resultado final. A ansiedade já vem aí... por 2 anos eu queria ter feito essa arte, uma arte que eu demoraria normalmente uma semana, se era para fazer em três dias, vamos fazer”, finalizou, celebrando a entrega.