16 de abril de 2021
Campo Grande 32º 20º

MPE vai ouvir Giroto e mais três investigados por irregularidades em contratos da MS-171

A advogada Kenia Fontoura, que representa Edson Giroto e mais três investigados pelo MPE (Ministério Público Estadual) por desvio de recurso público e fraudes em obras de rodovias estaduais acaba de deixar sede do órgão depois de reunião com promotores da Força Tarefa do MPE.

Segundo Kenia, durante reunião, ela solicitou ao promotor de Justiça Thalys Franklin de Almeida, que convoque Giroto, Maria Wilma Casanova Rosa, Wilson Cabral Tavares e João Assis para prestar depoimento referente ao inquérito que investiga possíveis irregularidades em contratos entre Proteco Construções Ltda e governo estadual para execução de obras na rodovia MS-171.

Conforme dados apontados pela Polícia Federal na Operação Lama Asfáltica, o prejuízo com contratos na MS-171 podem ser da ordem de R$ 2.663.984,56 milhões. A obra de cascalhamento contava com 90 quilômetros na planilha inicial, porém foi cascalhado apenas 63. Já o valor medido foi de R$ 4.541.457,94, porém apenas R$ 1.877.473,38 milhão foi executado. 

Segundo defesa, o intuito de convocar depoimento é evitar que novos pedidos de prisão sejam feitos pelo MPE. A advogada informou que os promotores concordaram em ouvir investigados na terça-feira (17), porém falta ainda confirmar horário dos depoimentos.

Já em relação ao habeas corpus que permitiu que ex-secretário estadual de obras e demais investigados saíssem da prisão no sábado (14), a advogada antecipou que em conversa com promotores da Força Tarefa eles lhe disseram que, por enquanto, não recorreram da decisão judicial, o que mantém Giroto, João Amorim e outros seis envolvidos fora da cadeia.

Leia também

• Giroto, assim como Amorim, presta depoimento em menos de 30 minutos

• Giroto e Amorim e outros seis devem passar fim de semana presos

• Amorim, Giroto e outros seis investigados conseguem habeas corpus e deixam prisão