27 de fevereiro de 2021
Campo Grande 32º 22º

Projeto de escola municipal tem ensino diferenciado e diminui evasão escolar

Na tarde desta terça-feira (22) o MS Notícias conversou com Mauricio Macedo Vieira, diretor da Escola Municipal Osvaldo Cruz e coordenador do Projeto Pedagógico para o Ensino Fundamental Travessia Educacional do Jovem Estudante Campo-Grandense (Traje).

A partir do Decreto n° 11.169 de 07 de abril de 2010, o colégio Osvaldo Cruz passa a fazer parte da Rede Municipal de Ensino com o nome de Escola Municipal Osvaldo Cruz. Após determinação do Ministério da Educação de não permitir o ingresso de alunos com menos de 18 anos na Educação de Jovens e Adultos (EJA) passaram a atender  os alunos entre 15 a 17 anos com distorção de idade e ano de escolaridade, e assim nasceu o projeto Traje.

O projeto foi inaugurado em 29 de março de 2010 com a missão de desenvolver uma política de educação que possibilite aos jovens entre 15 e 17 anos afastados ou que não tiveram acesso ao sistema formal de ensino e aqueles que estão no sistema, porém em distorção de idade ou ano, a oportunidade de escolarização no ensino regular, porém integrando o ensino fundamental à iniciação ao mundo do trabalho e a qualificação social e cidadã desses jovens.

Segundo Mauricio o projeto possibilitou a reinserção do aluno no âmbito escolar, pois eles se sentem à vontade já que não existem alunos menores de 15 anos, todos tem mesma faixa etária então não se sentem envergonhados por ainda estarem no ensino fundamental “maior que a metodologia diferenciada aplicada é o respeito que nós temos pelo aluno, quando você tem um ambiente acolhedor fica mais fácil. Eles são grandes, se eles não estivessem aqui conosco eles estariam na escola regular, o corpo deles já está desenvolvido, eles são adolescentes não crianças, imagina como eles não se sentiriam junto com crianças? Eles iam se sentir menosprezados, e aqui não, eles são todos iguais”,comenta o diretor.

O diretor falou ainda que no início do projeto sofreu muito preconceito por parte de pessoas que não acreditavam que seria possível trazer o interesse para jovens que “não gostavam de estudar”, mas conta orgulhoso que superou o desafio e hoje tem um índice em média de 95% dos alunos aprovados “o índice é satisfatório, quando acontece de um aluno ficar de exame, nós vamos analisar o que levou isso acontecer, ou ausência ou a escola, alguma coisa deve ter acontecido”.

Mauricio diz que a evasão dos alunos ainda é grande, ele fechou o ano com 534 alunos, mas também fez questão de frisar que com a mudança do prédio da escola do centro para o bairro aumento tanto a procura de matrículas por parte dos alunos, como a participação dos pais nas reuniões escolares.

Esse é um projeto que visa diminuir a diferença de idade com relação ao ano do adolescente na escola e Maurício se diz muito satisfeito com o resultado geral, desde que o projeto iniciou em 2010 “nós tivemos alunos aprovados aqui no Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS), que é uma seleção que exige uma prova, muito foram para o ensino técnico, ensino médio”.

O diretor diz sentir que a satisfação é recíproca por parte dos alunos, pois eles não querem ficar em casa, e já ouviu por parte de pais e alunos o desejo que esse projeto seja expandido para o ensino médio. Mauricio fez questão de lembrar que esse projeto foi pioneiro em Campo Grande e que essa é a única escola municipal que trabalha dessa forma com os adolescentes.

Segundo Maurício o Traje deu certo porque é uma união de todos os envolvidos, diretor, professores, psicólogos, são todos unidos por uma mesma causa, inserir esses jovens na escola e posteriormente no mercado de trabalho sem que ele sofra nenhum tipo de preconceito por ter perdido algum ano.

“Eles estudam duas séries em um período, alguns estudam até cinco séries do 1º ao 5º” comenta Maurício sobre a prática de ensino utilizada.

O prédio onde a escola funcionava na Avenida Noroeste no Centro da Capital, foi retomado, pois se tratava de um prédio cedido pela Associação Beneficente  de Campo Grande – Santa Casa. Hoje a escola está atendendo na Rua Yokohama número 145 na Vila Palmira.

De acordo com Maurício a Secretaria de Educação tem previsão de fazer uma inauguração do prédio assim que der início ao ano letivo de 2016.

 

Cinco carros acidentam, 2 pegam fogo, mas todos os motoristas e passageiros sobrevivem
BR-163 | IMPRESSIONANTE
há 3 horas

Cinco carros acidentam, 2 pegam fogo, mas todos os motoristas e passageiros sobrevivem

Usando garrucha, menor tenta assaltar PM, mas acaba morto a tiros
TRÊS LAGOAS
há 4 horas

Usando garrucha, menor tenta assaltar PM, mas acaba morto a tiros

Todos que pediram "CPF na nota" concorrem em sorteio de R$ 300 mil nesta sábado
LOTERIA | NOTA PREMIADA
há 4 horas

Todos que pediram "CPF na nota" concorrem em sorteio de R$ 300 mil nesta sábado

Mulher tira a própria vida em casa que já morreu dois no Aero Rancho
SUICÍDIO
há 22 horas

Mulher tira a própria vida em casa que já morreu dois no Aero Rancho

De Naviraí para o mundo: Ex-manicure é top model destaque em desfile de Milão
MILÃO FASHION WEEK
há 23 horas

De Naviraí para o mundo: Ex-manicure é top model destaque em desfile de Milão

Temporada de pesca retorna com Carteira Digital obrigatória
PESCARIA
há 1 dia

Temporada de pesca retorna com Carteira Digital obrigatória